Devemos ou não Usar celular em Sala de Aula?

Devemos ou não Usar celular em Sala de Aula?

 

Sempre que estamos caminhando pelos nossos municípios do Pará, como NTE, somos questionados pelos professores e alunos sobre o uso das novas tecnologias de informação em sala de aula ou em outros espaços da escola.

Nestas andanças já nos deparamos até com a proibição do uso de celulares ou outros instrumentos tecnológicos por parte dos alunos no espaço escolar.

Normalmente há muita dúvida sobre o que podemos ou não utilizar e/ou quando utilizarmos. Também é muito corriqueiro:

“De que forma podemos utilizar”?

Assim sendo, iremos produzir um pequeno texto com alguns passos que devem ser vencidos para termos uma base para a utilização prática de instrumentos tecnológicos, como por exemplo, o celular ou os próprios tablets, em sala de aula.

PRIMEIRO PASSO – para o uso de qualquer tecnologia em sala de aula ou até mesmo fora dela o professor deve primeiro SABER MEXER NO APARELHO, saber manusear a tecnologia.

Os sistemas operacionais presentes no smartfones são bastantes intuitivos. No entanto, na dúvida, vale a pena consultar o professor lotado no laboratório de informática ou os professores que trabalham no próprio NTE localizado no seu município.

SEGUNDO PASSO – Conhecer os termos de uso de cada tecnologia a ser utilizada. Por exemplo, no uso do facebook, torna-se necessário saber o que pode ser postado, como pode ser postado. Antes o professor deve discutir com os alunos como os recursos tecnológicos podem ser usados. Outros exemplos seriam:

Posso ouvir música no meu celular sem fone de ouvido?

Posso deixar meu celular ligado o tempo todo?

Quando estiver ligado posso deixá-lo para tocar?

Posso postar qualquer vídeo no youtube?

TERCEIRO PASSO– O professor deve refletir com os seus colegas, com os alunos ou até mesmo sozinho sobre os limites técnicos e morais de cada recurso. Esta reflexão deve ser estendida aos pais e demais funcionários da Escola. Questionamentos tais como:

Quem pode usar o facebook?

Com que idade podemos ter um celular com acesso a internet?

Entre outras, podem servir de ponto de partida para esta reflexão.

E a escola? Como a escola deve se preparar para este momento?

Primeiro Passo – A escola deve infraestruturar-se tecnologicamente.

Fica muito difícil trabalhar com as novas tecnologias em um ambiente sem a mínima infraestrutura. Não raro encontramos salas de aula que não suportam o uso de um data-show ou um computador, simplesmente porque não têm uma tomada elétrica em pleno funcionamento.

Se vamos trabalhar com computadores, precisamos de computadores funcionando. Se vamos trabalhar com a pesquisa na internet, precisamos de sinal de internet.

Segundo Passo – Construção de uma documentação que contenha as regras básicas para o funcionamento dos recursos tecnológicos existentes na escola ou que a escola está disposta a permitir em seu espaço. Como por exemplo: os celulares com acesso a internet.

O ideal seria ouvir os diferentes setores da escola envolvidos diretamente no contexto da utilização pedagógica do recurso tecnológico em questão para somente depois ser trabalhada a feitura do regimento de uso e funcionamento. Assim a comunidade participa de forma proativa na feitura das regras de uso dos objetos tecnológicos e das punições para o uso indevido dos mesmos.

Terceiro Passo – Um trabalho ostensivo de educação para o uso dos recursos tecnológicos. Sobretudo àqueles que estão sob posse dos alunos. Celulares, tablets, computadores, etc.

Trata-se de uma nova era tecnológica ligada aos usos de novos recursos tecnológicos. Logo, precisamos educar nossos alunos para que os mesmos saibam usar seus objetos de maneira que não venham trazer prejuízos pessoais ou para o conjunto social. Não podemos cogitar a ideia de que os mesmos aprenderão manusear os novos aparelhos somente através do empirismo ou da técnica acertar e errar.

A exposição de fotos pessoais na rede mundial de computadores, sem a autorização do dono da foto, pode tornar o erro infantil em um problema que deverá ser administrado para o resto da vida. Sobretudo se a foto tiver um caráter constrangedor.

Finalizamos nosso texto com as palavras da professora Patrícia Peck, que serviu de fonte inspiradora para nosso post:

“ Os educadores têm a missão de desenvolver suas técnicas pedagógicas em sintonia com a tecnologia, a fim de conquistar a atenção dos alunos que demandam mais estímulos visuais. Também devem ter especial atenção as relações digitais com os alunos, que extrapolam os limites físicos da instituição de ensino”.

 

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s